Segunda, 20 de Maio de 2024

DólarR$ 5,11

EuroR$ 5,55

Santos

21ºC

Litoral

Mais de 70% dos servidores não imunizados buscam vacina contra a Covid-19

Número de funcionários públicos não imunizados caiu de 372 para 80

Redação BS9

06/01/2022 - quinta às 12h37

Até o momento, quem não quis se imunizar não apresentou sequer uma justificativa - (foto: divulgação/PMSV)

A obrigatoriedade da vacinação contra a Covid-19 para servidores públicos municipais em São Vicente teve resultados positivos. Após a publicação do Decreto Municipal nº 5632-A, mais de 78% dos funcionários procuraram o imunizante. 
 
De acordo com um levantamento da Secretaria de Gestão (SEGES), antes da obrigatoriedade, eram 372 servidores não imunizados. Todos os profissionais foram convocados e 292 se vacinaram. 
 
A Prefeitura de São Vicente registra 98,8% dos 6.652 servidores municipais já imunizados. Apenas 80 não quiseram se imunizar e não apresentaram justificativa. 
 
A partir de agora, a SEGES vai instaurar um processo de sindicância para esses servidores. As punições passíveis estão previstas no Estatuto do Servidor, que vão de advertência à demissão. 
 
Exceções
Vale destacar que apenas dois grupos estão excluídos da regra: 
 
1- servidoras gestantes e lactantes, cujos bebês tenham até seis meses de vida;
2- servidores expostos a qualquer doença ou outra condição de risco que impossibilite a vacinação, de acordo com as regras estabelecidas por autoridades de saúde e sanitárias. 
 
Em ambos os casos, é necessário apresentar a documentação que comprove a justificativa. 
 
Base legal
A medida considera o dever dos servidores de proceder, pública e particularmente, de forma a dignificar a função pública, conforme o Estatuto dos Servidores Públicos Municipais de São Vicente. 
 
A decisão foi tomada com base na Lei Federal nº 13.979, nas decisões proferidas pelo Supremo Tribunal Federal no âmbito da ADI 6.625 e da ADPF 672, assim como nos artigos 5º, 6º e 196 da Constituição Federal. 
 
A obrigatoriedade da vacinação pode ser comparada ao uso de EPIs por trabalhadores da construção civil. Quem trabalha sem a devida proteção corre riscos e a legislação prevê que o empregador pode demitir os colaboradores que se recusam a usar os equipamentos de proteção. Hoje, o EPI contra a Covid-19 é a vacina. 

Deixe a sua opinião

Leia Mais

ver todos

COMA BEM

Caminhão do Peixe em Guarujá tem pescados a preços acessíveis

CONTRA INVASÕES

Bertioga interrompe comércio ilegal de lotes em operação com a polícia ambiental

EVENTO

Domingueira da Saudade promete agitar Mongaguá em junho

2
Entre em nosso grupo