Domingo, 21 de Julho de 2024

DólarR$ 5,60

EuroR$ 6,01

Santos

17ºC

Esportes

Atlético-MG quer Jorge Jesus, mas sem repetir erros de Sampaoli

A desconfiança não é uma questão financeira, mas sim o convívio diário

Folhapress

02/01/2022 - domingo às 15h57

Jorge Jesus é tratado como prioridade do Atlético-MG para 2022. Desempregado desde a demissão do Benfica, o português é visto como nome ideal para assumir o vestiário alvinegro, que vem de uma temporada de glórias. O clube não quer fazer apostas, por isso busca um treinador de currículo vencedor e moral o suficiente para controlar um elenco estrelado, como o do Atlético. Porém, por mais que esteja disposta a fazer muito esforço para contratar Jorge Jesus, a diretoria atleticana tem um limite.
 
E não é uma questão financeira, mas do convívio diárioE não é uma questão financeira, mas do convívio diário. A passagem de Jorge Sampaoli pela Cidade do Galo foi bastante marcante. Não somente pelo aspecto técnico, mas principalmente pela conturbada relação com o treinador argentino entre março de 2020 e fevereiro de 2021.
 
Ninguém dentro do Atlético questiona a importância que Sampaoli teve na montagem do elenco que venceu o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil em 2021, mas isso teve um custo alto. Ele interferiu em tudo quanto é assunto, até mesmo no funcionamento da Cidade do Galo. Inicialmente não foi um problema, mas com o passar do tempo as atitudes do treinador geraram um desgaste no ambiente, não só com jogadores, mas também com funcionários e diretores.
 
Os constantes pedidos por reforços e as ligações quase que diárias, sempre por volta das 6h, para Alexandre Mattos, então diretor de futebol, e Renato Salvador, um dos mecenas do clube, são alguns exemplos da dificuldade em conviver com Jorge Sampaoli.
 
Mas existe uma diferença fundamental para quando Jorge Sampaoli foi contratado para o atual momento. Em março de 2020, o Atlético estava muito mal. Eliminado de forma precoce da Sul-Americana e da Copa do Brasil e sem boas perspectivas para o Brasileirão. O argentino iniciou uma reformulação completa no elenco alvinegro, financiada pelos mecenas do clube.
 
Quase dois anos depois, o cenário que Jorge Jesus encontraria é bastante distinto. O Galo já está estabilizado como uma das grandes potências do futebol nacional. Uma posição que não é obrigado a ceder tanto, como foi quando buscou Sampaoli.
 
Um bom exemplo da situação segura em que se encontra que o Atlético está na formação da comissão técnica. O clube não abre mão do preparador físico, Cristiano Nunes, e do treinador de goleiros, Rogério Maia. Por outro lado, Jorge Jesus trabalha com uma comissão técnica própria, como foi na época do Flamengo. A diretoria do Alvinegro sabe que se o treinador for contratado, ele chegará junto com outros profissionais portugueses. A escolha dos integrantes da comissão técnica faz parte das negociações entre Atlético e Jorge Jesus.

Deixe a sua opinião

Leia Mais

ver todos

ESPORTES

São Sebastião recebe etapa dos Jogos Regionais 2024

ESPORTE

Capitão da seleção tricampeã mundial completaria 80 anos nesta quarta

EM SANTOS

Copa Porto irá movimentar 12 equipes de futebol society a partir de 5 de agosto na Arena Evo

2
Entre em nosso grupo