Segunda, 27 de Maio de 2024

DólarR$ 5,17

EuroR$ 5,61

Santos

20ºC

EMERGÊNCIA

Governo de SP forma estratégia de Saúde para lidar com efeitos de emergências climáticas

Enchentes, enxurradas, estiagens e tempestades são um desafio para a saúde pública, pois não apenas possuem uma magnitude considerável, mas também acarretam consequências socioeconômicas, ambientais e sanitárias impactantes para as comunidades afetadas

da Secretaria de Estado de Saúde

17/12/2023 - domingo às 00h01

Criação do programa "São Paulo Sempre Alerta" busca articular diferentes áreas para dar resposta rápida a desastres naturais - Reprodução

 governo de São Paulo lançou, nesta quinta-feira (14), o Programa “São Paulo Sempre Alerta”, que busca articular ações entre as diferentes pastas para fortalecer a infraestrutura preventiva e a segurança da população em casos de desastres naturais. A Secretaria de Estado da Saúde (SES) tem papel importante neste processo, capacitando equipes para lidar com os efeitos de eventos climáticos extremos e prevenindo surtos de doenças que possam sobrecarregar a rede pública. 

Enchentes, enxurradas, estiagens e tempestades são um desafio para a saúde pública, pois não apenas possuem uma magnitude considerável, mas também acarretam consequências socioeconômicas, ambientais e sanitárias impactantes para as comunidades afetadas. Os danos provocados frequentemente agravam os problemas de saúde das populações afetadas e requerem a implementação de ações coordenadas. 

Entre os principais esforços, a SES foca no monitoramento das áreas afetadas para possíveis adições aos procedimentos já estabelecidos na rotina dos municípios, orienta quanto à comunicação da ocorrência de doenças e detecção de surtos para correta e oportuna intervenção, capacita os profissionais para atuação nos locais de acolhimento dos atingidos, cria medidas para atender à saúde dos trabalhadores envolvidos na resposta aos desastres e fornece assistência à saúde mental das vítimas. 

Neste ano, as ações planejadas incluem oficinas de preparação para os profissionais que atuam na vigilância sanitária e epidemiológica nos municípios, estimulando a articulação com as lideranças regionais e a Defesa Civil, criando grupos capazes de responder com agilidade a eventos extremos. 

Além disso, a SES reforça os procedimentos logísticos para garantir o abastecimento ininterrupto nesta época do ano de imunobiológicos, que incluem vacinas e soros antitetânico e antiaracnídeo, para as regiões mais frequentemente atingidas durante os meses de verão. Há também um foco na prevenção de doenças transmitidas pela água, alimentos e/ou lama contaminados e que se tornam mais comuns após enchentes, realizando também o fornecimento de cotas extras de hipoclorito, quando necessário. 

Para 2024, a pasta planeja ampliar a capacitação para todos os municípios do Estado para investigação de surtos e monitoramento de doenças diarreicas agudas, promover o fortalecimento da rede quanto à preparação e resposta a emergências em saúde pública, ampliar as campanhas de sensibilização quanto às doenças que podem estar relacionadas a enchentes, inundações e enxurradas, bem como campanhas de orientação e combate ao mosquito Aedes aegypti. 

A resposta a este tipo de evento foi um dos principais temas debatidos no encontro do Consórcio de Integração dos Estados do Sul e Sudeste (COSUD). O fortalecimento dos sistemas de vigilância, estoque de suprimentos para emergências e ações conjuntas de suporte entre os membros do COSUD foram algumas das decisões conjuntas dos secretários das pastas de Saúde estaduais. 

Deixe a sua opinião

Leia Mais

ver todos

DIREITOS HUMANOS

Brasília recebe primeira Parada do Orgulho da Pessoa com Deficiência

RIO GRANDE DO SUL

RS suspende aulas em três cidades por causa de previsão de chuvas

DIREITOS HUMANOS

Levantamento aponta crescimento da população de rua em São Paulo

2
Entre em nosso grupo