Segunda, 27 de Maio de 2024

DólarR$ 5,17

EuroR$ 5,61

Santos

20ºC

SAÚDE

10 mitos sobre o câncer de pele que prejudicam a prevenção

O câncer de pele é causado pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõe a pele. De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), ele responde por 33% de todos os diagnósticos da doença no país

da Redação BS9

14/12/2023 - quinta às 00h01

No Dezembro Laranja, especialista do Hospital São Luiz São Caetano do Sul faz alerta sobre a doença, que é o tipo mais frequente de câncer no Brasil - Reprodução

O mês que marca a chegada do verão também é o escolhido para a campanha Dezembro Laranja, que buscar alertar e conscientizar sobre o câncer de pele, tipo mais frequente no Brasil e no mundo.

Entre os principais fatores de risco da doença está a exposição solar, que fica em evidência neste período de altas temperaturas, reforçando a necessidade de medidas preventivas.

O câncer de pele é causado pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõe a pele. De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), ele responde por 33% de todos os diagnósticos da doença no país e, a cada ano, são cerca de 185 mil novos casos no Brasil.

Entre os sintomas estão lesões elevadas, brilhantes, avermelhadas ou acastanhadas, rosa ou com várias cores, e que sangram facilmente.

"Destaque também para pintas pretas ou marrons, que mudaram de cor, com bordas irregulares ou com crescimento, e mancha ou ferida que não cicatriza depois de um mês, que podem apresentar coceira ou sangramento", destaca Rafael Oliveira Amorim, dermatologista do Hospital São Luiz São Caetano do Sul.

Inaugurado em 2017, o hospital da Rede D'Or, e primeiro da bandeira São Luiz fora da capital paulista, conta com uma unidade da Oncologia D'Or, uma das mais completas redes de cuidados oncológicos no país, com infraestrutura para todas as etapas da jornada do paciente, desde o acolhimento inicial até o diagnóstico, passando por todo o tratamento.

Para auxiliar na prevenção do câncer de pele e incentivar práticas corretas de prevenção, o dermatologista do São Luiz São Caetano esclarece alguns mitos comuns sobre a doença. Confira:

1.   O câncer de pele é raro.

MITO. O câncer de pele é responsável por mais de 30% dos diagnósticos de câncer no Brasil. Existem dois grandes grupos: o tipo melanoma, mais perigosos; e o tipo carcinoma, mais comum.

2.   O câncer de pele só acontece em quem tomou muito sol.

MITO. A exposição ao sol ao longo da vida é sim um fator que aumenta o risco de desenvolver a doença. Porém, é possível desenvolver uma lesão por questões genéticas e por exposição ao sol regular que tomamos no dia a dia.

3.   Bronzeamento artificial é seguro

MITO. Não existe bronzeado saudável! Câmaras de bronzeamento artificial produzem até três vezes mais radiação ultravioleta do que o sol. Estudos mostram que o uso de bronzeamento artificial antes dos 35 anos aumenta em 35% a chance de desenvolver melanoma. Desde 2009, câmaras de bronzeamento artificial são proibidas pela ANVISA no país. A coloração que a pele desenvolve em um bronze nada mais é que uma reação da pele ao dano que a radiação UV causou.

4.   Não preciso usar protetor solar em dias frios e nublados.

MITO. O sol produz radiação UV de maneira constante. Boa parte dessa radiação consegue atravessar nuvens e mesmo vidros, afetando nossa pele. Vale a pena colocar protetor solar diário na rotina, mesmo em dias chuvosos.

5.   Só preciso passar protetor solar uma vez ao dia.

MITO. O protetor solar tem duração limitada e deve ser reaplicado de acordo com as instruções do fabricante. Em dias de praia e piscina, é recomendado reaplicar a cada duas horas e sempre após sair da água ou praticar atividades físicas que causem suor.

6.   O câncer de pele só afeta pessoas de pele clara.

MITO. Apesar de ser mais comum em pessoas de pele e olhos claros, o câncer de pele pode afetar pessoas com todos os tons de pele. Além disso, muitas vezes ele é detectado mais tardiamente em pessoas de pele mais escura.

7.   Se eu tiver uma pinta esquisita, o médico sempre pode tirar ela antes de virar câncer.

MITO. Muitas vezes as lesões de pele já chegam ao consultório como câncer de pele. Por isso é importante o acompanhamento anual com seu dermatologista para identificar lesões de risco em estágios iniciais.

8.   Os produtos químicos do protetor solar fazem mal à saúde.

MITO. Temos diversas evidências que os produtos presentes nos protetores solares são seguros para uso contínuo, além de eficazes na prevenção do câncer de pele. Para as pessoas que ainda assim se preocupam, existem diversas opções de protetor solar mineral no mercado a base de zinco ou dióxido de titânio.

9.   Adolescentes e adultos jovens não precisam se preocupar com câncer de pele.

MITO. O melanoma é a forma de câncer mais comum em adultos jovens. Sempre fique atento a pintas novas ou mudança de coloração e tamanho em pintas antigas.

10. O câncer de pele não é letal.

MITO. O câncer de pele, especialmente o melanoma, pode ser letal se não for detectado e tratado precocemente. A prevenção e a realização de exames dermatológicos regulares são fundamentais.

Deixe a sua opinião

Leia Mais

ver todos

DIREITOS HUMANOS

Brasília recebe primeira Parada do Orgulho da Pessoa com Deficiência

RIO GRANDE DO SUL

RS suspende aulas em três cidades por causa de previsão de chuvas

DIREITOS HUMANOS

Levantamento aponta crescimento da população de rua em São Paulo

2
Entre em nosso grupo