Jornada cultural marca comemoração dos 27 anos do Centro de Memória Bunge

Evento será transmitido pelo YouTube e tratará do acesso de acervos físicos na era digital

Programação acontece em parceria com a Associação Brasileira de Memória Empresarial (ABME) (foto: divulgação)

5 curtiram
PALESTRA ON-LINE • 26/08/2021 | 16h40

Redação BS9
 
O Centro de Memória Bunge, um dos maiores e mais importantes do país, completa 27 anos no próximo dia 31 de agosto e vai comemorar a data com um evento gratuito para falar sobre a importância da preservação de acervos históricos e culturais na era digital. 
 
A programação faz parte das Jornadas Culturais, palestras e oficinas gratuitas que, este ano, em parceria com a Associação Brasileira de Memória Empresarial (ABME), tem por objetivo promover debates sobre preservação de uma memória coletiva e institucional. 
 
O evento será online, por conta da pandemia. Para participar, basta acessar a página da Fundação Bunge pelo YouTube, das 14 às 16 horas. A palestrante convidada será Clarissa Schmidt, professora do Departamento de Ciência da Informação e do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal Fluminense - UFF. 
 
Entre os tópicos que serão abordados estão: o processo de transição imposto pela transformação digital nas dinâmicas da sociedade contemporânea, antecipado pela pandemia de Covid-19; cenário de trabalhos remotos, com menor presença das equipes para tratar os acervos presencialmente; e diminuição de espaços físicos para guardar os acervos.
 
O tema foi escolhido num momento em que o País lamenta a destruição de parte do acervo histórico de filmes da Cinemateca Brasileira, causada por um incêndio que atingiu o galpão que abrigava a instituição, localizado na Vila Leopoldina, Zona Oeste de São Paulo, em 29 de julho.
 
O evento será mediado por Viviane Morais, doutora em História Social e pesquisadora do Centro de Memória Bunge. “As questões que serão abordadas mostram o quão urgente é o diálogo sobre representação, organização e acesso de acervos físicos na era digital. O Incêndio ocorrido na Cinemateca só ratifica a importância dessa questão para assegurar obras tão relevantes para a história do Brasil”, ressalta Viviane. 
 
Vale destacar que os participantes receberão certificado.
 
Sobre as jornadas Culturais
Iniciadas em 2004, as Jornadas Culturais são palestras e oficinas gratuitas sobre preservação, conservação e divulgação de acervos históricos e culturais. Nestes 17 anos, foram 93 eventos gratuitos, que reuniram 6.585 pessoas, ministrados por especialistas com ampla atuação em suas áreas, contribuindo na formação de profissionais e no desenvolvimento das instituições de memória.
 
Este ano, em parceria com a Associação Brasileira de Memória Empresarial (ABME), cuja missão é fortalecer as políticas e as práticas de memória empresarial no País, as Jornadas Culturais têm o objetivo de promover debates que tragam novas perspectivas às reflexões acerca da preservação de uma memória coletiva e institucional.
 
Sobre o Centro de Memória
O Centro de Memória Bunge foi criado em 1994 e traz preservada e acessível ao grande público a história de mais de 100 anos da Bunge no Brasil, na forma de mais de 1,5 milhão de documentos cartográficos, iconográficos, filmográficos e textuais, entre outros. Um patrimônio que narra não apenas a trajetória da Bunge no País, como a evolução dos valores, costumes e modos de organização da própria sociedade brasileira.
 
   Quer receber todos os dias as notícias das 9 cidades da Baixada Santista em primeira mão?
   Entre em nosso grupo do WhatsApp.
 Clique aqui.